quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Entrevista ao Portal Guia-me

"Está na hora de discipularmos o mundo", afirma cantor de Reggae Music
Em entrevista exclusiva ao Guia-me, o líder do ministério de música da Missão Surfistas de Cristo, Thiago Will falou sobre o seu novo projeto e o poder que a música pode exercer entre os jovens


Por João Neto - www.guiame.com.br

Ir além do atual cenário gospel. Essa é a intenção do guitarrista e vocalista Thiago Will com o seu novo projeto independente ''VivaRoots''. Líder do ministério de música da Missão Surfistas de Cristo, em Florianópolis (SC), o músico de 25 anos de idade segue a linha do Reggae em seus trabalhos e busca usar este estilo como ferramente para transmitir a mensagem do evangelho não só para surfistas, mas a todos os que estiverem dispostos a ouvi-lo. Apoiado pela Missão e contando com a produção de Haroldo Sousa Rickli, Thiago tem buscado mostrar aos jovens a importância de ouvir músicas que tragam mensagens edificantes.

Em entrevista exclusiva ao Guia-me, Thiago falou sobre a origem desse trabalho, o preconceito existente em relação ao estilo musical por ele escolhido, as estratégias adotadas para uma eficiente transmissão dessa mensagem e o poder que a música pode exercer entre os jovens dos dias atuais.

Confira abaixo a entrevista, na íntegra:

Guia-me: Como surgiu a ideia do nome deste projeto: "VivaRoots"?

Thiago Will: Surgiu em meus momentos de meditação a sós com Deus. Por vários dias recebi palavras sobre voltar às raízes, retornar às bases da Sua Palavra. Isso foi no ano de 2008. Nesse tempo nasceu o nome VivaRoots e seu significado: viver as raízes, voltar às nossas origens, aos princípios e valores do Criador, viver a simplicidade, viver o amor.

Guia-me: Você tem planos de levar este projeto também para fora do meio gospel, com fins evangelísticos. Como surgiu a ideia de divulgar este trabalho também no meio chamado "secular"?

Thiago Will: Este projeto nasceu para isso, para fora, e já tem obtido resultados. O meio ''gospel'' hoje já está abarrotado de bandas e muita música para nós mesmos (cristãos), e está na hora de fazermos músicas para discipular o mundo e não deixar mais que o mundo continue tentando nos discipular com suas mensagens decaídas e banais. Hoje vemos a mídia infectada por músicas sem pudor, sem sentido, sem mensagem alguma a respeito de amor, amizade, paz, preocupação com a nação ou a criação. A ideia é divulgar as músicas que têm uma mensagem de positiva de amor, paz, alegria, fé, conscientização ambiental, conscientização social, etc. E assim buscar ser referência musical de qualidade para o jovem da nossa nação.

Guia-mea Quais estratégias estão sendo traçadas para que esta atuação fora do meio evangélico alcance os seus objetivos?

Thiago Will: Hoje temos duas estratégias: A banda e o CD. A banda tem buscado se infiltrar em lugares onde o pecado domina, onde há pessoas que realmente precisam ouvir a mensagem. Também nos apresentamos em igrejas e eventos evangélicos, com o intuito de despertar os jovens para fazer o mesmo. E o CD tem sido uma surpreendente estratégia dada por Deus, pois já conseguimos distribuir gratuitamente mais de 1000 CDs em Floripa e por todo Brasil. Essa foi a idéia que deu inicio ao projeto, gravar um CD com pelo menos quatro músicas e fazer distribuição do material gratuitamente e pela internet, com um fim evangelístico. Muitas pessoas têm se disposto a ofertar para que os CDs continuem circulando pelo Brasil, já estamos para alcançar os 2000 até final deste ano. Temos recebido e-mails e mensagens de pessoas que foram tremendamente tocadas pelas músicas e isso não tem preço.

Guia-me: O Reggae ainda sofre algum tipo de preconceito entre os evangélicos?

Thiago Will: Creio que esse preconceito tem sido quebrado a cada dia mais. Como o Rock sofreu por muito tempo e, hoje já tem mais espaço, com o reggae tem acontecido o mesmo. Cada vez mais bandas de reggae estão nascendo dentro das igrejas. Mas infelizmente o reggae tem uma ligação muito grande com a maconha. Shows de reggae são os campeões em nível de consumo dessa droga. Por isso precisamos de bandas e artistas cristãos sérios nesse meio, dando o exemplo.

Guia-me: Em sua música ''Metamorfoseamente'', você fala sobre abrir a mente para uma renovação. Esta transoformação pode se caracterizar somente como espiritual ou também como social, entre outros âmbitos?

Thiago Will: Metamorfosear a mente serve para todas as áreas da nossa vida. Precisamos de uma renovação diária (Rm 12:2), espiritual, social, emocional, ''igrejal'' ... Sermos uma ''Metamorfose Ambulante'', como é citado na música (frase emprestada da música de Raul Seixas), mas uma metamorfose que possa gerar mudança e transformação no mundo em que vivemos, assim, seguimos dia-a-dia voltando às raízes.

Para conhecer as músicas e saber mais sobre o VivaRoots, clique aqui

2 comentários:

LAUANA MERCÊS disse...

ola! muito legal suas palavras... meu coração tambm tem ardido por missoes!
paz!

LAUANA MERCÊS disse...

Q bençãoo!!